terça-feira, 22 de março de 2011

Dia mundial da água!

  Hoje, dia 22 de Março, comemora-se o dia mundial da água e o nosso grupo não deixou passar este dia em branco! Fizemos uma exposição onde mostrámos algumas medidas para poupar água, apesar de algumas delas serem já bastante conhecidas, mas vale sempre a pena relembrar para que as pessoas não se esqueçam que é necessário e importante poupar água! Também distribuimos uns autocolantes pelos nossos colegas, professores e funcionários que nos ajudaram a divulgar esta causa. De seguida mostramo-vos fotografias da exposição e também do autocolante.
  Esta iniciativa correu muito bem e esperamos que as pessoas se tenham consciencializado para que é necessário poupar água o mais rápido possível e que o podemos fazer com simples actividades do dia-a-dia.
  Em nome do grupo, agradecemos a todos os que se disponibilizaram a nos ajudar e a tornar esta iniciativa mais visivel. De referir ainda que também o Salpico participou na nossa exposição sendo um elemento bastante atractivo!
O autocolante.
O Salpico!
O grupo :)


Dia Mundial da Água: A pegada hídrica aumentou no planeta.

  «Hoje comemora-se o Dia Mundial da Água, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) e que este ano tem o tema "Responder ao desafio urbano". O objectivo passa por calcular quanto vale, em consumo de água, a folha de papel que segura nas mãos neste momento. Ou a chávena de café que bebemos ao pequeno-almoço, a carne que consumimos, ou a roupa que vestimos. Em 2011, o objectivo deste dia é alertar para as consequências do crescimento das cidades e da industrialização e para as incertezas provocadas pelas mudanças climáticas.
  A chamada de atenção é para os governos, para as organizações e as instituições, mas é também para as comunidades e para o indivíduo. Uma chávena de café num restaurante envolve um gasto de água na ordem dos 140 litros, se incluirmos a sua produção. Um quilo de carne exige 16 mil litros de água e uma simples T-shirt de algodão exige um consumo de 2 mil litros de água.
  O recurso é escasso e a pegada hídrica aumenta de dia para dia. Portugal encontra-se entre os países que se apresentam com a pegada hídrica mais elevada por habitante, ocupando o sexto lugar entre um total de 140, diz o "Relatório Planeta Vivo 2008", da WWF - World Wild Fund for Nature, que tem os EUA à cabeça. Ao lado de Portugal estão quatro países da região mediterrânica - Grécia, Itália, Espanha e Chipre. O documento demonstra que o uso insustentável da água é um problema crescente e "o declínio dos ecossistemas hídricos é mais acentuado que o declínio da biodiversidade marítima e terrestre". Os responsáveis? O aumento das captações de água para a agricultura e o abastecimento urbano, as políticas de gestão da água e a perda de habitats devido à urbanização e à construção de infra-estruturas. Ao contrário do que possa parecer, a ideia não é proibir a produção de café, de alimentos ou de vestuário, sublinha Luís Silva, um dos responsáveis pela WWF Portugal.
  "De que forma a economia sustentável pode ser mais competitiva?" Luís Silva acha que a questão é o ponto de partida para que a pegada hídrica comece a regredir. Por outro lado, "o Plano Nacional da Água, que devia ter sido terminado em 2010, ainda está atrasado", explica Francisco Ferreira, da Quercus, acrescentando que "não foi implementada nenhuma medida".
  Esta é uma das razões para a ONU trazer o tema para debaixo de fogo. A ideia é responder ao desafio urbano, incentivar os governos e cada pessoa a participar activamente na procura de uma solução para o desafio da gestão da água. Há um ano, Ban-ki-moon dizia que "a água é o elo que une todos os seres vivos do planeta e está directamente ligada aos objectivos da ONU". Hoje, a importância da água doce e da sustentabilidade vai estar no centro do dia.
  Uma folha de papel vale 10 litros de água. Neste momento, entre os seus dedos, tem 480 litros de água. E ainda falta contar com a tinta.»

Esta notícia foi retirada do site do jornal i.

quinta-feira, 3 de março de 2011

O sorteio.

video

  Hoje, na nossa aula de Área de Projecto tivemos uma actividade desenvolvida pelo grupo CPI - Conhecer para integrar, que consistiu na troca de vivências por parte de uma aluna brasileira e um aluno italiano. Para além de falarem dos seus países e das suas culturas, falaram também do Carnaval dos seus países de origem. Percebemos que existe uma grande diferença entre o carnaval português, mais precisamente o de Torres Vedras, e o brasileiro ou italiano! Aproveitámos esta actividade para sortear o nosso cabaz de Carnaval, o primeiro a existir na nossa escola, que saiu a um habitante da Pedra, o Dário. O vídeo que vos mostrámos em cima foi realizado pelas alunas do grupo CPI (Ana Catarina, Adriana e Sofia) para darem a conhecer a sua actividade.
  Desejamos um bom Carnaval a todos e venham divertir-se a Torres Vedras onde o carnaval é o mais português de Portugal!

terça-feira, 1 de março de 2011

Um desafio!

  Foi com grande agrado que recemos um desafio vindo de uma das nossas seguidoras: a Ma. O desafio consiste em responder a uma pergunta que a Ma debateu numa aula com a sua turma e depois se lembrou de nós! De seguida mostraremo-vos a pergunta e a resposta que também foi debatida pelo nosso grupo. Desde já, um grande obrigada à Ma e os desafios serão sempre bem vindos :)

- A água deve ser cara por ser um bem escasso, ou barata por ser um bem de primeira necessidade?

  Esta é uma questão que pode causar algumas divergências... Na nossa opinião, e em primeiro lugar, a água deveria ter um preço ligeiramente elevado de forma a que todas as pessoas pensassem antes de a utilizar visto que é um bem escasso. Temos o exemplo do petróleo que, sendo um bem também escasso, tem um preço cada vez mais elevado e, assim, as pessoas estão mais alertadas para a sua utilização e já pensam em alternativas. Depois, a água deveria ter um valor mais reduzido pois é um bem de primeira necessidade a que todos deveriam ter acesso, nunca esquecendo o seu uso racional.